Governador Mauro Mendes minimizou ação que prefeito de Cuiabá moveu contra ele na Justiça

O governador Mauro Mendes (DEM) minimizou, nesta quinta-feira (8), a ação judicial movida pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), que visa evitar que o democrata siga fazendo declarações que maculem a sua imagem.

O chefe do Executivo estadual afirmou que suas críticas são baseadas em fatos e que Emanuel protagonizou uma cena “hilária e lamentável”, referindo-se ao vídeo em que o prefeito, quando ainda ocupava o cargo de deputado estadual, aparece no Palácio Paiaguás recebendo maços de dinheiro e colocando dentro do paletó.

“Isso é normal. Faz parte de uma estratégia, não sei se jurídica ou de comunicação. O que eu tenho falado é ancorado em fatos e evidências, é público e notório. Ele protagonizou talvez um dos mais épicos episódios de corrupção”, disse.

“Vi poucos políticos brasileiros em uma cena tão hilária e tão lamentável como a que ele protagonizou recebendo dinheiro e colocando no paletó”, completou.

Mendes ainda voltou a ressaltar o número de secretários de Emanuel que foram afastados durante a sua gestão, alvos de operações: Alex Vieira (Educação), Marcus Brito (Procuradoria Municipal), Huark Douglas (Saúde) e Luiz Antonio Possas de Carvalho (Saúde).

“Na administração dele, também é fato público e notório: quatro secretários afastados do cargo envolvidos com corrupção. Esses fatos falam por si só”, afirmou.

O governador negou, ainda, que as críticas tenham cunho eleitoreiro. Na disputa em Cuiabá, Mendes apóia o candidato Roberto França (Patriota), um dos principais adversários de Emanuel, que é candidato à reeleição.

“É fato ou conversa fiada que tem quatro secretários afastados? É verdade ou não? É a mais absoluta verdade. Quem afastou fui eu ou foi o Ministério Público, a Justiça? Ele está acusando o Ministério Público e a Justiça de serem eleitoreiros? Então diga claramente isso. O que estou dizendo são fatos que todos conhecem e sabem que é a mais pura verdade”, rebateu.

Ação na Justiça

A ação movida por Emanuel contra Mendes para tentar impedi-lo de proferir qualquer mensagem e fala que possam “macular” sua imagem foi encaminhada à 8ª Vara Cível de Cuiabá.

A defesa elencou diversos momentos em que o governador disparou falas duras contra o emedebista, como quando o chamou de “malandro de carteirinha” e afirmou que Emanuel “está envolvido em esquema de corrupção” e que a Prefeitura de Cuiabá virou um “antro de corrupção”.

Fonte: MídiaNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui