Presidente do STF pregou união para vencer os entraves e perseguir proteção aos direitos humanos, meio ambiente e tornar um país atrativo para negócios. Declaração foi dada durante discurso na primeira sessão do ministro na presidência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

O ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), afirmou, nesta terça-feira (22/9), que “vivemos um momento muito tormentoso”. As declarações foram feitas durante a primeira sessão presidida por ele no conselho.

Para Fux, o país está mais próximo “do porto que do naufrágio”, e é necessário trabalhar em conjunto para passar por este período. “O momento é fácil? Não. O momento não é fácil. Mas o tempo é sábio e ele sabe que não pode separar o inseparável. Então, quem sabe os nossos destinos se cruzaram para que, juntos, possamos enfrentar este momento tormentoso, momento muito tormentoso, diria mesmo um mar de tormenta. Muito embora naveguemos hoje pela internet, estamos navegando, também, num mar tormentoso. Mas tenho certeza de que, com o apoio de todos, vamos fazer essa travessia e tenho certeza de que estamos muito mais perto do porto do que do naufrágio. Que Deus nos ajude”, disse.

Durante a sessão, Fux apresentou diretrizes que devem nortear o trabalho do magistrado a frente do STF e do CNJ nos próximos dois anos. Ele chamou os temas de “eixos de gestão”. Os objetivos destacados pelo ministros foram a proteção dos direitos humanos e do meio ambiente; a garantia da segurança jurídica conducente à otimização do ambiente de negócios no Brasil; o combate à corrupção, ao crime organizado e à lavagem de dinheiro, o incentivo ao acesso à justiça digital, e o fortalecimento da vocação constitucional do STF.

“O CNJ é um grande defensor do direitos das minorias, dos direitos humanos em geral. E está na ordem do dia a proteção ao meio ambiente, então não poderia deixar de destacar este eixo”, disse Fux.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui