Depois de 20 minutos batendo na porta do então secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas de Carvalho, os agentes do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) tiveram que arrombar a porta do apartamento na manhã de 1º de outubro para cumprir o mandado de busca e apreensão. Na mesma data, ele foi afastado do cargo.

A informação consta na decisão da juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Silva Mendes, que manteve as ações da Operação Overpriced, que investigou compras superfaturadas de medicamento pela Secretaria Municipal de Saúde.

“Consta dos autos que ao se dirigir até a residência do investigado, a autoridade policial realizou a tentativa de acesso ao interior do apartamento do investigado por 20 minutos, inclusive, com o auxílio do síndico que acompanhou a entrada dos policiais”, diz trecho do documento.

Passados os 20 minutos, “considerando a possibilidade de que o investigado estivesse criando entrave para o cumprimento da medida ou até mesmo estar descartando provas com vias de frustrar as investigações, decidiu-se pelo arrombamento da porta”.

No entanto, eles ainda aguardaram a chegada do advogado de Possas de Carvalho, para assegurar a ampla defesa e garantir o devido processo legal. Durante o cumprimento do mandado, além de documentos, o celular do ex-secretário foi apreendido como prova.

Operação Overpriced

Deflagrada em 1º de outubro, a operação investigou compras superfaturadas de medicamentos durante a pandemia da covid-19. Segundo o Ministério Público do Estado (MPE), além dos valores altos, faltam documentos no Portal da Transparência, como contratos e pesquisa de preços.

Fonte: Gazeta Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui