O secretário de Estado de Fazenda de Mato Gross, Rogério Gallo, apontou que a estrutura implementada no estado no setor da saúde em virtude da pandemia da covid-19 só poderá se manter com o apoio da União por meio de recursos federais.

O apontamento do gestor foi feito durante entrevista coletiva na manhã de quarta-feira (09). Na data, Gallo também comentou a respeito do estado de calamidade que vigora em Mato Grosso.

“Toda estrutura que temos hoje dependemos de apoio federal. Para manter toda a estrutura que está colocada para enfrentamento à pandemia dependemos de apoio federal com recursos federais”, afirmou o secretário.

Segundo Gallo, a discussão já foi levada ao ministro da Saúde pelo governador. Para o secretário, o apoio de recursos da União se torna ainda mais necessário quando se trata da manutenção de leitos instalados no interior do estado.

Ao comentar sobre o estado de calamidade, que exime o estado do cumprimento de determinadas metas fiscais, o secretário afirmou que a medida tem vigência projetada até 31 de dezembro de 2021.

“Nós temos estado de calamidade que está aprovado em nível nacional e com efeitos projetados até 31 de dezembro de 2021 por conta da Lei Complementar 173. A União ela vincula, é uma lei nacional que vincula todos os estados, municípios, Distrito Federal e a União”, declarou o secretário.

Fonte: Gazeta Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui